Proteína cerebral pode combater o alcoolismo

Cientistas americanos anunciaram um passo importante no tratamento de uma doença que atinge milhões de pessoas no mundo: o alcoolismo. A solução pode estar no próprio cérebro.

Pelos complexos caminhos do cérebro, uma proteína conhecida como GDNF cria e protege os neurônios.

Já seria responsabilidade mais do que suficiente, mas pesquisadores do Departamento de Neurologia da Universidade da Califórnia descobriram que a proteína pode ser, também, um poderoso remédio contra o alcoolismo.

Os testes foram feitos em ratos, que se acostumaram a doses diárias de bebidas em laboratórios. Os animais receberam uma super injeção da proteína GDNF em uma área do cérebro em que se desenvolve a dependência à bebida alcoólica. O resultado veio em 10 minutos.

“O que observamos foi uma redução do interesse pelo álcool”, conta o chefe da pesquisa, Sebastien Carnicellá.

Carnicellá e seus colegas constataram, em 70% dos animais, uma grande redução do consumo da bebida. Quase 20% deles imediatamente recusaram a beber. O problema é que o tratamento em humanos qualquer injeção no cérebro é delicada demais.

Os pesquisadores estão procurando um medicamento, algo que possa estimular no cérebro humano a produção da proteína que, no laboratório, teve um resultado extremamente eficaz.

Eles já têm até algumas pistas e acreditam que a cura para o alcoolismo está cada vez mais próxima.

“Não está muito longe. Agora, já sabemos onde e como atuar”, afirma o pesquisador.

Depois do experimento, os cientistas encontraram mais um motivo para esperança: entre os ratos curados, nenhum deles voltou a ingerir a bebida.

Fonte: Gazeta do Sul