Pelo direito de dizer “não” às bebidas alcoólicas

A bebida alcoólica, apesar de causar muitos problemas sociais e de saúde, ainda é vista como algo legal, benéfico e quem escolhe não beber, seja por não ter vontade ou por estar no processo de tratamento do alcoolismo, pode ser visto como uma pessoa anormal.

Há várias pesquisas sobre os malefícios e benefícios de diversas bebidas. O que se sabe através desses estudos é que a bebida alcoólica traz mais prejuízos do que benefícios à saúde. No entanto, o álcool é uma droga lícita (ou seja, liberada) e tem aceitação social muito grande. Há até quem questione como pode alguém frequentar uma festa sem beber nada alcoólico.

Foi um dos pontos questionados pelo colunista Léo Luz, do blog Entenda os Homens, que criou um post sobre como as pessoas parecem incrédulas com sua decisão de não beber e que, muitas vezes, precisa inventar motivos ou até ser grosso para que a pessoa entenda a opção dele.

Essa dificuldade de algumas pessoas em aceitar que alguém não quer ingerir bebida alcoólica tem um lado ainda mais negativo quando a recusa é feita por uma pessoa que está em tratamento do alcoolismo. O alcoolista precisa evitar beber e isso significa ser forte, não apenas durante o tratamento, mas para o resto da vida.  E quem fica insistindo para que uma pessoa beba talvez não faça ideia do quanto está prejudicando o doente.

Por isso, vale a pena usar o respeito. É preciso saber respeitar as opções de cada um e que não beber pode não ser fácil para alguém, mas que ela fez essa escolha para viver uma vida plena, sem os prejuízos causados pelo alcoolismo.