Futebol: violência cai 70% após proibição de álcool

O presidente do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Justiça (CNPG), Marfan Vieira, afirmou que, apesar de polêmica, a proibição da venda de bebida alcoólica em estádios de futebol apresenta resultados inquestionáveis.

“Pesquisa feita no Mineirão mostra que houve redução de 70% nos índices de violência, o que mostra o acerto da medida”, afirmou para o site Terra.

Em São Paulo, a lei nº 14.726, que proíbe a venda e o consumo de bebidas em estádios e conjuntos poliesportivos foi publicada em maio, estipulando o limite para comercialização de duas horas antes e uma hora após os eventos esportivos profissionais.

A multa para quem não cumprir a regra é de R$ 1 mil e pode chegar a R$ 2 mil em caso de reincidência.

Em abril, a CBF já havia proibido a venda e o consumo de álcool em partidas realizadas pela entidade, com o objetivo de diminuir a violência e garantir a segurança do torcedor brasileiro.

“Com a proibição de venda de bebidas alcoólicas, pretende-se reduzir substancialmente a violência nos estádios, o que já está comprovado onde essa proibição acontece”, justificou.

A polêmica em torno do assunto não é novidade, e ganhou mais força a partir de um acordo de intenções celebrado entre a CBF e a CNPG, em 31 de agosto de 2007.

Fonte: Fernando Moraes