Consumo de bebidas alcoólicas provoca reação diferente no organismo das mulheres

“Ebriorexia” não é um termo médico reconhecido. Mas aponta para um fenômeno perturbador, no que tange aos distúrbios de alimentos e aos distúrbios compulsivos. Entre as pessoas classificadas como ebrioréxicos há os universitários, em sua maioria mulheres, que passam fome o dia todo a fim de compensar as calorias que ingerem em forma de álcool durante suas noitadas.

O termo se associa também a distúrbios alimentares graves, especialmente a bulimia, a qual muitas vezes acarreta comportamento como o abuso de alimentos e bebidas e o uso do vômito como maneira de purgar o organismo.

Os anoréxicos, porque restringem severamente sua ingestão de calorias, tendem a evitar álcool. Mas alguns bebem para se acalmar antes de comer, ou para aliviar a ansiedade causada por uma refeição.

Ainda outros empregam drogas como cocaína e metanfetaminas para reprimir o apetite.

“Existem mulheres que têm medo de colocar uma uva na boca mas bebem uma cerveja sem problemas”, disse Douglas Bunnell, diretor dos serviços clínicos em domicílio do Renfrew Center, sediado em Filadélfia.

Bunnell, antigo presidente da Associação Nacional dos Distúrbios de Alimentação dos Estados Unidos , diz que a obsessão pela magreza e a aceitação social do uso da bebida e drogas – bem como a sensação recentemente surgida entre as celebridades de que recorrer a tratamentos de desintoxicação é quase obrigatório, ou até charmoso – são parcialmente culpados pela tendência.

“Ambos os distúrbios são formas de comportamento que terminam glorificadas e reforçadas”, disse Bunnell. “Beber em excesso se tornou mais aceitável: é uma moda.

E perder peso e serem magras é quase um imperativo cultural para as jovens norte-americanas. A mistura das duas coisas não surpreende, e agora chegou a um ponto em que o público começa a se conscientizar do problema”.

Os psicólogos dizem que os distúrbios da alimentação, como outros vícios, muitas vezes têm raízes na necessidade de amortecer uma dor emocional por meio de substâncias, ou da sensação que beber ou comer em excesso, e depois vomitar, suscita. Os distúrbios são muitas vezes causados por traumas infantis como abuso sexual, negligência dos pais ou outras fontes de angústia mental.

A manorexia é a versão masculina da anorexia. A ortorexia é uma obsessão por alimentos considerados como saudáveis ¿ por meio da eliminação de gorduras ou conservantes, por exemplo. Mas as pessoas que sofrem essas condições podem correr perigo ao se privar de nutrientes necessários.

A diabulimia se refere a diabéticos que deixam de tomar insulina, que pode causar ganho de peso, a fim de controlar seu peso. A despeito do nome, o distúrbio não envolve vômito provocado. O distúrbio de alimentação excessiva se refere ao consumo excessivo de alimentos, especialmente os ricos em sal e açúcar, que não envolva exercício obsessivo ou vômito provocado para compensar a elevada ingestão de calorias.

Estudos demonstram que comer excessivamente e abuso de álcool são problemas em ascensão entre as mulheres, que também são mais propensas que os homens aos distúrbios de alimentação.

Cerca de 25% a 33% dos pacientes de bulimia também enfrentam problemas com álcool ou drogas, de acordo com um estudo publicado no ano passado pela revista especializada Biological Psychiatry. O estudo constatou que entre 20% e 25% dos anoréxicos têm problemas de abuso de substâncias.

Fonte: Guia Clínicas de Recuperação