Como sair da depressão

como sair da depressão: De acordo com o CID 10 (Código internacional de doenças), ela se apresenta como uma patologia de caráter crônico e periódico de alterações profundas no humor, bastante relacionadas a uma tristeza profunda, a dor e aos sentimentos de culpa e angústia.

como sair da depressão sozinha,

como sair da depressão com deus,

como sair da depressão em 21 dias,

como sair da depressão profunda,

atividades para sair da depressão,

como sair da depressão por amor,

teste de depressão,

como reverter a depressão

Onde começa o problema?
Em julho de 2014, eu trabalhava numa empresa do setor financeiro. Certo dia, cheguei em casa e simplesmente não conseguia entrar porta adentro. Um pavor tomou conta de mim. Lig…

O fenômeno da depressão é caracterizado como biopsicossocial, dependendo de fatores genéticos, psicológicos e sociais, em torno de 11,5 milhões de brasileiros sofrem com a doença segundo a OMS.

Aqui saliento que, não é só porque uma pessoa está triste ou abatida que necessariamente ela tenha depressão.

A experiência com a depressão vária de pessoa a pessoa, com atenção a sua intensidade e duração, idade do indivíduo e predisposição genética.

Como identificar os sintomas de alguém com depressão?

Ressalto que, para se configurar como sintomas depressivos, é preciso que se manifestem persistentemente por um bom tempo. Pois, muitos dos sintomas vão e vem, não sendo possível caracterizá-los.

Os sintomas podem variar de acordo com cada indivíduo, devido a aspectos físicos, psicológicos e sociais, é uma doença complexa e muitas vezes não se apresenta sozinha.

Mas, quando se fala na depressão isolada, alguns sintomas aparecem com mais frequência, dentre eles:

  • Tristeza, acompanhado de um humor depressivo e persistente
  • Perturbações do ciclo do sono (podendo causar insônia ou excesso de sono)
  • Perturbações no apetite (podendo aumentar ou diminuir)
  • Sentimento de culpa e desesperança
  • Pensamento desacelerado, desarticulado, diminuição da concentração
  • Angústia, apatia e ansiedade
  • Irritabilidade (em homens esse fator pode ser mais presente do que a tristeza)
  • Sintomas mais físicos como ganho ou perda de peso, movimentos automáticos, dores espalhadas pelo corpo, sem explicação evidente
  • Isolamento social

Nem sempre será fácil identificar os mesmos, além de que alguns não são tão visíveis, a pessoa pode tentar esconder os outros, mas com atenção e empatia você pode identificar.

Na dúvida, procure sempre ajuda de um psicólogo e um psiquiatra para o encaminhamento necessário.

Apesar da depressão atingir todas as idades, é preciso recobrar a atenção durante o fim da adolescência e o início da idade adulta, pois esse é o recorte mais afetado.

Por que ajudar alguém com depressão?

Além dos sintomas demonstrados acima, que já se mostram prejudiciais, essa é uma doença que frequentemente possui comorbidades.

Isto é, doenças que vem em conjunto ou são consequências diretas uma da outra.

Os casos mais comuns são as associações a transtornos ansiosos, abuso de substâncias (medicamentos, álcool e outras drogas), doenças cardiovasculares e doenças crônicas como a diabetes.

Mas, se isso não é o bastante para você, pense que essa doença é também como as outras.

Você deixaria de ajudar quem estivesse passando uma luta contra o câncer? Contra a pressão alta? A diabetes? Uma insuficiência renal?

Ela também precisa de ajuda, não pede por ajuda não é por não querer, mas simplesmente por não conseguir, não ter forças ou energia para isso.

Em outros casos é por não querer que você vivencie o mesmo sofrimento que ela.

Agora que sabe por que as ajudar, vamos ver como fazer isto.

Como lidar com outra pessoa com depressão

A maioria das pessoas quando se depara com alguém com depressão, não sabe muito bem o que dizer e como se comportar.

A primeira coisa que posso lhe dizer, é que sobretudo é preciso empatia para aceitar a condição da outra pessoa sem realmente entender o que se passa com ela.

Pois só quem passa por uma experiência com a depressão consegue entender alguns fenômenos da doença, porém não tudo, já que cada um a vivência de uma forma.

Falando assim, parece algo impossível ou pelo menos muito difícil de ajudar, mas há coisas que podemos fazer para apoiar a pessoa que está nessa dificuldade.

Apoio esse que vai muito além do falar e do ouvir, lhe darei algumas dicas de como fazer isso a seguir.

Ouça com atenção

Mais importante que falar com a pessoa é ouvir o que ela tem a dizer, mas ouvir com real atenção ao que está sendo falado, nas conversas a pessoa está expondo o seu íntimo, pratique a empatia.

Entenda que muitas pessoas já opinaram sobre sua condição atual, mas poucas ouviram o que ela tinha a dizer.

Poderá haver também detalhes na fala que exemplifique a dor que a pessoa está passando e porque ela está nessa situação.

Porém, evite dar opiniões pessoais, quem vive com esse transtorno sabe que suas culpas e angústias são por vezes irracionais, mas não consegue pará-los, então não é por você falar que vai mudar, talvez só a machuque mais.

Se informe sobre a doença

Saber mais sobre a doença é essencial, como você poderá entender minimamente o individuo se nem sabe pelo que ele passa.

Procure ler livros sobre o assunto, assistir vídeos de profissionais da área falando sobre, leia artigos de blogs como esse do Grupo Recanto.

Se tiver alguém na família ou um amigo que já está sendo tratado da depressão por um psicólogo ou um psiquiatra, peça orientações ao mesmo de como pode fazer a sua parte para a melhor recuperação da pessoa.

ncentive a busca por tratamento

A muito que você pode fazer por esta pessoa, mas também há coisas que só um profissional adequado pode fazer.

A responsabilidade da “cura” do seu amigo ou familiar não é sua, encaminhá-la para um psicólogo pode ser o melhor que você tenha a fazer por ela no momento.

Em casos de pensamentos suicidas o disque 188 do CVV pode prestar a ajuda necessária, em emergências também estão disponíveis UPA e hospitais.

A psicoterapia é a chave para uma vida mais alegre e saudável, e só através dela os hábitos e manias adquiridas pelo convívio com a patologia poderão ser enfrentados, bem como adquiri maneiras de lidar com as emoções e pensamento irracionais.

Evite sermões

Como já dito anteriormente, o individuo se encontra fragilizado e desorganizado mentalmente por causa da doença.

Ele já se culpa todo o dia, e dar um sermão para cima dele só aumentará a tensão e pressão em cima dele, dificultando ainda mais o processo de recuperação.

Mesmo que por dentro não entenda direito o que se passa com ele, deixe suas opiniões de lado e em vez de falar, dê um abraço e acolha.

Frases como “Isso é falta de Deus”, “Deixe de frescura”, “Já passei por coisas piores e não fiquei assim”, “Todos tem problemas, siga em frente”, só relativizam e banalizam o problema.

Vou lhe dar mais uma dica, experimente dizer um “Eu te amo”, “quero cuidar de você”, “Você é importante para mim”, no lugar das frases anteriores.

Incentive a prática de esportes e alimentação saudável

A depressão é uma doença altamente incapacitante segundo a OMS, então seria uma boa você convidar seu parente ou amigo para praticar esportes.

Chame para fazer uma caminhada, praticar um esporte que goste ou descobrir um novo, convide para Yoga, para a prática de uma arte marcial e qualquer outra atividade física que ele possa se sentir atraído.

Além de uma doença mental, ela é também uma doença física, e atividades como essas auxiliam na liberação dos hormônios da endorfina e dopamina.

Esses são hormônios associados ao prazer e ao bem estar, ajudando a atenuar os efeitos físicos da depressão, e se praticados com regularidade também vão gerar efeitos psicológicos.

Com o tempo aumentará a confiança em si mesmo, aumento da vitalidade, aumento da autoestima, redução do nível de ansiedade.

Uma alimentação saudável ajuda bastante no tratamento, como mostram pesquisas feitas pelo mundo, uma boa alimentação pode reduzir o efeito dos sintomas.

Um maior consumo de verduras e frutas ajudam num melhor funcionamento do cérebro.

Estimule a socialização

O isolamento social é um dos sintomas da depressão, então o trabalho para a reinserção da pessoa no meio social é necessário.

Reúna os outros amigos e os familiares e programe uma saída ao cinema, a um parque temático, faça um piquenique.

Proporcione coisas que a faça sair de sua rotina e vivenciar novas experiencias de vida.

Dê apoio

Primeiro de tudo, seja presente, pois caso ela precise de algo você estará lá, não a deixe sozinha.

Se não morar na mesma casa, a visite com certa frequência mostre que está ali, isso vai demonstrar que ela pode contar contigo.

Ajude a pessoa em suas tarefas diárias, dependendo do caso até tarefas simples como varrer a casa pode ser uma inconveniência para ela.

Conscientize-a que toda ajuda é bem-vinda, a ajude nos momentos que pareçam fáceis e nos difíceis.

Demonstre que se importa, quando lhe perguntar algo diga, quando precisar de privacidade e tempo conceda, peça ajuda a ela para entendê-la melhor.

Você passará pelo processo junto com ela, então recomendo que também faça terapia, se autoconhecer será uma arma poderosa para si e para a pessoa de quem cuida.

Tenha paciência

A paciência será sua principal aliada nesse processo de luta, muitas vezes não estará sentindo muito progresso, mas não é porque não quer.

Ela se encontra cansada e apática na maioria do tempo e haverá dias que não estará a vontade de sair, conversar, andar ou se divertir.

Entender que dias assim aconteceram faz parte do processo, não desanime, comece traçando objetivos pequenos.

Não ignore comentários suicidas

Há uma crença popular de que quem fala que vai se matar, não está realmente querendo fazer ou está fazendo para chamar atenção.

Se posso lhe ajudar mais uma vez, vou lhe dizer que essa hipótese está terrivelmente equivocada.

A maioria dos suicídios são planejados com antecedência e dão sinais que estão para acontecer.

Se ouvir algum comentário que indique o pensamento suicida, na dúvida é melhor acreditar, pois se for verdade e você olhar com desdém, tenho certeza de que pode se arrepender muito no futuro.

Em casos como esse além de acompanhamento psicológico, buscar uma clínica especializada em saúde mental é a melhor solução.

Como é o comportamento de uma pessoa com depressão?

O indivíduo depressivo possui um comportamento circundado pelos sintomas da doença e pelas experiencias do próprio.

O isolamento social, a apatia, tristeza e angústia faz com que o individuo se torne cada vez menos sociável e menos disposto.

Cada vez mais vai se tornando uma pessoa marcada pela introversão, se auto culpando e sem esperanças.

Não tendo vontade de fazer as tarefas básicas e coisas de que gosta e quando tem vontade, falta-lhe a energia para tal.

Pelos distúrbios do sono e pela irritabilidade, a pessoa pode se tornar menos tolerante a pequenas coisas e opiniões alheias.

O humor tipicamente triste e a sensação de vazio insistente podem deixá-la desacreditada de que há algo de bom nesse mundo.

A mente de alguém que está a passar por isso está cheia de pensamentos irracionais que ela não consegue parar, por isso também apresentará comportamentos incongruentes com sua real intenção.

Segundo o CID 10, existem mais de 20 classificações que envolvem transtornos depressivos ou doenças que envolvem sintomas depressivos.

Cada um deles afetam o individuo de forma diferente, portanto o comportamento pode variar de acordo com o tipo apresentado.

O que falar para uma pessoa com depressão?

Eu costumava pensar que deveríamos pisar em ovos ao falar com alguém passando pela depressão.

Mas meus estudos na psicanálise e atuação na área por ela me fizeram enxergar diferente.

É necessário o cuidado, mas cuidado demais fará com que a pessoa note e sinta que você está se retraindo e o fluxo da conversar pode não andar.

Seja sincero com ela e diga também sobre seus medos e receios e escute os dela mutualmente.

Lembre-se das dicas dadas anteriormente, e converse sobre a doença com ela, para ver como ela entende a sua própria situação, bem como as dificuldades encontradas.

Mas não fale só sobre isso, é importante falar de coisas que a pessoa goste e de outros assuntos.

A depressão já é uma sombra pesada que ela carrega por todo lado, e outras já comentam sobre e nem sempre de forma atenciosa feito você, não é preciso que a recorde sempre disso.

O que não se deve dizer para uma pessoa com depressão?

Falei anteriormente que o cuidado em excesso poderia prejudicar ao invés de ajudar, mas ainda assim é preciso cuidado.

Lembre da dica “evite sermões”, não se deve colocar sua opinião quando estiver dialogando com o depressivo.

Principalmente se for uma opinião contrária ou que não respeite aquilo que está sendo dito e vivido pela pessoa a quem você se dirige.

Uma das primeiras coisas de que falei, foi sobre usar a empatia, pois para nós é difícil se colocar no lugar dela e entendê-la.

“Pense positivo”

Pensar positivamente é algo muito difícil quando não se consegue ver quase nenhuma luz no mundo.

A pessoa tem sensação de estar encarando um vazio sem forma e sem fim, e que puxa para baixo seus pensamentos e comportamentos.

A angústia e apatia são muito fortes para que esse pensamento escape, a mente é dominada por pensamentos negativos.

Ao falar isso você só incitará mais pensamentos do tipo, porque a pessoa se culpará por não ser capaz de pensar positivamente.

“Você precisa seguir em frente”

Não é que a pessoa não queira e não tente fazer isso, todavia ela não consegue largar o mesmo pensamento.

A pessoa sofre com vários pensamentos irracionais que surgem quando querem e vão embora quando também quiserem.

Passam por um processo de ruminação mental, onde os pensamentos se repetem e repetem, assim remoendo a mesma ideia, incessantes vezes.

Assim não só as situações ruins são revividas constantemente, mas também como a ideia de prosseguir perde força e por vezes é abandonada.

“Depressão é frescura”

Se chegou até aqui, tenho certeza de que não utilizará mais essa expressão nunca mais, essa frase desconsidera totalmente o sofrimento pelo qual a pessoa está passando.

Depressão é uma doença que atinge mais 320 milhões de pessoas no mundo todo, achar que tantas pessoas estão “de frescura” é no mínimo questionável.

“Tente se esforçar mais”

Quase toda energia da pessoa está concentrada em apenas viver, o processo de fazer as pequenas tarefas diárias e continuar vivendo pode ser algo que requeira muito esforço.

Quem convive com a doença sofre de uma perda de energia absurda, então as mínimas coisas já se tornam necessárias de esforço para serem cumpridas.

“Todo mundo tem problemas”

É um fato que cada um tem seu problema, mas porque o seu vizinho ter um problema faria com que o seu se tornasse menos importante.

Todos temos alguns problemas, porém isso não diminui a importância do outro e a dor que ele enfrenta.

Gostaria que fosse pedir ajuda a alguém e ele fosse frio e dissesse “cada um que cuide da sua vida”.

“Você se colocou nessa situação”

Pense bem, será mesmo que a pessoa escolheu estar triste, abatida e angustiada a maior parte do seu tempo?

Ainda que por consequência de algo que ela fez tenha lhe levado a situação atual.

Você aprendeu que essa patologia se manifesta nos aspectos biopsicossociais, ou seja, uma correlação de vários fatores.

E novamente uma frase como essa pode piorar a situação da pessoa em questão, que possível benefício traria falar algo como isso.

Como buscar ajuda profissional para pessoas com depressão? 

Há vários caminhos para se tomar em busca de ajuda profissional, há órgão e programas do governo, profissionais especialistas na área e caso nenhum desses tiver acesso ou for suficiente, uma clínica para saúde mental é extremamente recomendável.

Precisamos falar de suicídio
Depois de duas tentativas de suicídio seguidas de longas internações e consultas com vários psiquiatras e psicólogos, encontrei um profissional que me fez seguir tratamento

como sair da depressão sozinha,

como sair da depressão com deus,

como sair da depressão em 21 dias,

como sair da depressão profunda,

atividades para sair da depressão,

como sair da depressão por amor,

teste de depressão,

como reverter a depressão